terça-feira, 12 de maio de 2009

Como concretizar um Projeto Político-Pedagógico

Todo projeto deve ter um coordenador, aquele que vai orquestrar as ações e acompanhar o andamento do processo. No caso do Projeto Político-Pedagógico (PPP), este papel deve caber ao diretor da escola. O projeto é traçado coletivamente, pela comunidade escolar, mas o diretor deve ter competência e liderança para concebê-lo e colocá-lo em prática, articulando as iniciativas e envolvendo os participantes – professores, pais, alunos, funcionários, direção.
Para elaborar o projeto, algumas etapas são fundamentais. Cada escola deve encontrar, a partir de suas características, a melhor forma de se articular para cumprir cada uma delas.

Conheça as etapas mais importantes.
Realidade da escola – Ao construir o Projeto Político-Pedagógico, a comunidade escolar estabelece uma direção para sua ação pedagógica, assumindo um compromisso definido coletivamente, com base na realidade da escola. Assim sendo, faz-se necessário conhecer e refletir sobre esta realidade, respondendo a questões básicas como: quem são nossos alunos? como é a comunidade à qual eles pertencem? quais as características do corpo docente da escola? Para levantar estes dados é preciso que toda a comunidade escolar participe – o que pode ser feito por meio de reuniões e fóruns representativos, como, por exemplo, o Conselho Escola-Comunidade e os grêmios dos alunos. Como cada escola é única, assim como sua comunidade e seus problemas, é necessário que haja um acompanhamento constante, que possibilite a atualização de informações.
Metas – É com base nesta reflexão, no debate entre os membros da comunidade, que o grupo tem condições de pensar sobre os seus verdadeiros objetivos: que educação queremos proporcionar ao nosso aluno? que sociedade almejamos? o que estes alunos precisam aprender para atuarem nesta sociedade almejada? Definindo-se estas questões essenciais sobre a escola real, inicia-se a elaboração de um projeto para se alcançar as metas desejadas. É preciso que toda a comunidade se envolva e se comprometa com estas metas, cada um dentro de suas atribuições e cumprindo seu papel, elaborando-se um Projeto Político-Pedagógico claro, exeqüível e participativo.
Programa de estudos – A fim de manter a organização e a estruturação do Projeto Político-Pedagógico sempre na direção correta e desejada, é indicado preparar um plano de trabalho. Ele deverá prever as ações a serem levadas à frente, o período em que cada uma delas deverá se realizar, os recursos necessários para esta realização e os responsáveis por cada atividade. O plano de trabalho, no entanto, não é definitivo. Ao contrário, está aberto a mudanças, devendo apenas orientar as ações, não engessar o trabalho. De qualquer maneira, um cronograma de ações garante seu êxito.
Plano de trabalho – Uma comunidade escolar bem preparada participa mais e melhor. Assim, vale desenvolver um programa de estudos sobre temas relevantes, de cunho pedagógico e cultural, promover a análise de documentos, a leitura crítica de textos e o exame de pressupostos teóricos e metodológicos. Este trabalho pode se realizar desde o início do processo de construção do Projeto Político-Pedagógico, pois é o que alimenta e realimenta a ação dos educadores em direção à integração das áreas de conhecimento com valores e aspectos da vida cidadã, para um grupo de alunos de determinada série ou ciclo. É o que permite, ainda, a integração dos vários segmentos, da Educação Infantil à 8ª série e o Programa de Educação de Jovens e Adultos. Contempla também a inclusão, com êxito, dos alunos portadores de necessidades especiais de educação.
Gestão democrática – Uma vez que não existem duas escolas iguais e o cenário pedagógico é marcado pela diversidade, pelo pluralismo, não se pode conceber uma escola sem autonomia para estabelecer o Projeto Político-Pedagógico. Uma gestão democrática, baseada no debate, na possibilidade de livre expressão, na autonomia dos participantes, é condição essencial para a construção e o sucesso do projeto. A escola deve estimular a criação de grêmios e de associações de pais e mestres.
Avaliação – Durante a execução das ações do Projeto Político-Pedagógico, podem surgir situações inesperadas que exigirão adaptações e alterações que vão requerer nova reflexão e replanejamento. Sendo uma construção coletiva, processual, o projeto necessita de constante avaliação e conseqüente reordenamento, adaptando-se às transformações da coletividade. A realização de reuniões periódicas, a observação do cumprimento – ou não – dos objetivos traçados e a satisfação da comunidade são alguns indicadores para se avaliar o andamento do projeto e promover a correção de rumos que se fizer necessária. Assim, a avaliação é um processo diagnóstico tanto das práticas pedagógicas de alunos quanto de professores e da equipe dirigente da escola.

Técnicas de elaboração de artigo científico

Postagens populares